A briga de Jair Bolsonaro com Gustavo Bebianno nasceu de erro da Record

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Ironicamente, o presidente havia dito a Gustavo Bebianno que tinha como inimiga a Rede Globo.

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Primeiro, a Folha de S.Paulo descobriu que o PSL fez uso de laranjas para cumprir a cota feminina na eleição de 2018. Mas a cobertura dos acontecimentos não se ateve a uma única manchete. Oito dias depois, Gustavo Bebianno apareceu em O Globo negando qualquer clima ruim com o presidente da República. Como prova do bom relacionamento, comentou ter conversado por três vezes com Jair Bolsonaro naquele dia.

Não existe crise nenhuma. Só hoje falei três vezes com o presidente — disse Bebianno ao GLOBO, afirmando que a conversa se deu por mensagens no WhatsApp. Um dos temas da conversa teria sido o cancelamento de sua viagem ao oeste do Pará, que ocorreria nesta quarta-feira. Segundo ministro, a agenda foi suspensa a pedido de Bolsonaro que esperar ter alta e quer reencontrar seus ministros na volta a Brasília, após 16 dias internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.”

‘Falei com o presidente três vezes hoje’, diz Bebianno após rumores de crise no governo

Como destacado nas aspas acima, Bebianno não diz que conversou com Bolsonaro sobre as denúncias da Folha, mas sobre uma viagem ao oeste do Pará. Contudo, ao entrevistar o presidente ainda no hospital, o jornalismo da Record compartilhou com o entrevistado algo que o secretário-geral não disse a O Globo. E concluiu que o tema da conversa teria sido justamente o “laranjal do PSL”:

“Saiu em parte da imprensa que o senhor teria feito telefonemas de dentro do hospital a respeito deste assunto.”

Twitter Oficial de Jair Bolsonaro

Conforme mais um registro da Folha, Carlos Bolsonaro só publicou a mensagem em que chamava as palavras de Bebianno de “mentira absoluta” quando o presidente viajava para Brasília. Ou seja, já havia sido entrevistado pela Record e recebido alta hospitalar.

Na continuação do vídeo editado pela própria Presidência da República, em trecho que só seria veiculado à noite, surge o apresentador da Record reforçando o erro. A chamada informa que Bebianno teria espalhado que havia conversado com Bolsonaro “sobre a suposta liberação de verbas partidárias para candidaturas laranjas do PSL“. Entretanto, como já demonstrado mais acima, tal informação inexistia na matéria original.

O erro da Record fica mais explícito na metade final do vídeo compartilhado por Bolsonaro.

Ironicamente, na primeira das três gravações que comprovaram que a mentira tinha partido da dupla Carlos & Jair, o pai do “pitbull” comenta que a Rede Globo seria sua grande inimiga, e temia que a a aproximação articulada pelo secretário poderia prejudicar o bom relacionamento que mantém com emissoras concorrentes.

Jair Bolsonaro dizendo que a Rede Globo seria a inimiga dele.

A Rede Globo, claro, negou qualquer inimizade com o presidente, alegando que busca apenas fazer jornalismo independente, além de manter um relacionamento saudável com o poder. Mas ficou no ar a dúvida: será que Bebianno ainda seria ministro caso Bolsonaro não desse prioridade ao canal de Edir Macedo?

Siga A Agência no Twitter, Instagram e LinkedIn.

Para o Início