Foto de Sergio Moro prova que é ele no Twitter sim

Antes de acusar falta de prova, pense no que está se tentando provar.

Antes de acusar falta de prova, pense no que está se tentando provar.

Foto: Sergio Moro

O MINISTRO SERGIO MORO estreou nesta quarta-feira (4) no Twitter. A conta tem o selo azul que a plataforma confere às contas “verificadas” e o nome “Sergio” está escrito sem acento, uma sutileza que poucas pessoas no Brasil, mesmo na imprensa especializada, conseguem captar.

Nem todo mundo sabe o significado do selinho azul do Twitter. No fim da tarde, o ministro publicou uma foto de si mesmo segurando um calendário da Caixa. A data 4 de abril está circulada. A legenda: “Provando que esse twitter é meu mesmo (o que é um pouco inusitado)”.

A zoação da internet foi geral, como é de praxe. O problema é que teve gente usando a repercussão a sério para fazer política. Bastiões da lógica esquerdista quiseram usar a publicação para mostrar que o ministro não entende de provas.

É preciso ser didático com essa gente:

  1. O objetivo do ministro não era provar que a foto foi tirada hoje. Era mostrar que a conta era dele;
  2. A foto não está isolada, como a enviada por um sequestrador para provar que a vítima está viva naquela data. A foto foi publicada no Twitter, com hora e data;
  3. Quando a foto foi publicada, já havia o selo de “verificada” na conta do Twitter;
  4. Se é que já existe alguma pública, são raríssimas as selfies de Sergio Moro tiradas pelo próprio;
  5. Não haveria outra razão para Moro posar com um calendário da Caixa com a data de 4 de abril circulada.

A petezada que fique tranquila. O episódio de hoje logo passa. Neste domingo (7), Sergio Moro e boa parte do povo brasileiro podem celebrar uma efeméride ainda mais importante: um ano de Lula na cadeia.

Em tempo: a conta de Moro está no nome de Moro, e não de um amigo.

Gostaria de ajudar A Agência? Contribua com o financiamento coletivo (crowdfunding) do projeto.

Para o Início