Bolsonaro dizia que o Brasil não aguentaria mais um governo com o PMDB, mas deu um ministério ao partido

Fotos: Alan Santos/PR
Fotos: Alan Santos/PR

OSMAR TERRA FOI REELEITO deputado federal pelo Rio Grande do Sul em 2014.  Já na primeira escalação do governo Temer, viraria ministro do Desenvolvimento Social e Agrário. Em 2019, continuará na Esplanada dos Ministérios como ministro da Cidadania e Ação Social do governo Bolsonaro.

A escolha foi publicamente celebrada por ninguém menos do que Michel Temer. O que não deixa de soar estranho, uma vez que o presidente eleito dizia na campanha que “o Brasil não aguenta mais um ‘governo’ de PT, PSDB ou PMDB. VAMOS MUDAR O BRASIL!

Screenshot: Twitter.

Screenshot: Twitter.

Mas o PMDB – que tenta agora esconder o passado recente retomando um passado mais distante sob a sigla MDB – tem muitas faces. E a mais polêmica é, sem dúvidas, a de Renan Calheiros. De acordo com a Coluna do Estadão, o convite para um “jantar secreto” entre Renan e Paulo Guedes partiu do futuro ministro. E terminaria com o convidado tecendo elogios ao “posto Ipiranga”.

MDB como base de um governo é sempre aposta de baixo risco. Mas não deixa de ser interessante observar como a realidade se impôs a Bolsonaro mesmo durante o período de transição. Afinal, os peemedebistas fizeram oposição a Collor, e inicialmente ficaram neutros durante o governo Lula. Era de se esperar do bolsonarismo um pouco mais de resistência.

Gostaria de ajudar A Agência? Basta você visitar este link e comprar qualquer livro que te interessar.

Para o Início