Ao não sediar a COP, Bolsonaro atende a desejo de Maduro

Nicolás Maduro com Putin: Venezuela não queria liderança do Brasil. Foto: Kremlin.ru

Maduro com Putin: venezuelano não queria liderança do Brasil em reunião sobre clima

Foto: Kremlin.ru

UM VÍDEO PUBLICADO nesta quinta (29) mostra um pouco da relação entre o presidente-eleito Jair Bolsonaro e o futuro ministro Onyx Lorenzoni. Em uma entrevista coletiva, uma repórter (pela voz parece ser Delis Ortiz, da TV Globo) pergunta se o futuro governo pretende manter a decisão brasileira de sediar a COP25 em 2019, a mais importante conferência climática do mundo. A COP24 começa nesta segunda-feira (3) na Polônia.

Inicialmente Bolsonaro parece não saber do que se trata ou não ter entendido a pergunta: “o quê?”, pergunta para Onyx. Ele responde à repórter: “não chegamos lá”. Depois fala para Bolsonaro: “nós não temos a nada ver com isso” e “isso é uma decisão do próprio Itamaraty”.

Com firmeza, o presidente-eleito então afirma: “houve participação minha nessa decisão”.

A Folha acrescenta que o futuro ministro do Turismo, o deputado federal Marcelo Álvaro Antonio (PSL-MG), contava com a realização da COP no Brasil, mas foi informado pela imprensa da decisão do chefe de cancelar o encontro.

O Brasil venceu o direito de sediar a COP 2019 no começo de outubro. Sabem quem fez oposição? O governo da Venezuela. Notícia publicada no Valor em abril mostra que Nicolás Maduro não queria a conferência no Brasil. Era uma retaliação ao governo Michel Temer, com o qual as relações não são tão próximas quanto eram com Lula e Dilma. Como muita coisa na ONU, as reuniões da COP seguem um rodízio regional e 2019 será a vez de um país da América Latina.

Agora, Costa Rica, Chile e Guatemala se candidataram para preencher a vaga de anfitrião deixada pelo Brasil. Ninguém pode dizer que Bolsonaro não é generoso com nossos hermanos.

 

 

 

Gostaria de ajudar A Agência? Contribua com o financiamento coletivo (crowdfunding) do projeto.

Para o Início