‘João Plenário’ condenado a devolver R$ 340 mil em MG

Laranjeira, como João Plenário: cabe recurso. Foto: Sylvio Coutinho/Divulgação

Laranjeira, como João Plenário: cabe recurso.

Foto: Sylvio Coutinho/Divulgação

O TRIBUNAL DE CONTAS mineiro (TCE-MG) determinou que o produtor cultural Saulo Pinto Muniz, conhecido pelo nome artístico Saulo Laranjeira e mais ainda pelo seu personagem João Plenário, devolva aos cofres públicos a quantia de R$ 341.619,69, “corrigida e acrescida de juros de mora”. Cabe recurso.

Segundo nota à imprensa, a condenação é referente à captação de 100 000 reais, em 2001, de recursos públicos oriundos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura para a realização do programa de TV Arrumação 2000. A decisão, unânime, foi proferida pela 1ª Câmara do Tribunal na terça-feira (26).

O TCE-MG considerou irregulares as contas prestadas pelo artista, com 15 anos de atraso e “somente quando da declaração de indisponibilidade de bens” pelo tribunal, em junho de 2017. Para a 1ª Câmara, os recibos apresentados por Laranjeira não correspondiam à execução do objetivo proposto.

Ao jornal O Tempo, Laranjeira afirmou que entrará com o recurso: “Meus advogados e eu estamos verificando. Estamos entrando com recursos porque o trabalho foi realizado. Está na fase de comprovação ainda. Eu estou sabendo agora. Na verdade, nós estamos reivindicando o conhecimento disso. Estamos em trabalho de conhecimento dos fatos”.

Curta a página de A Agência no Facebook.

Para o Início