Ministro do Turismo tenta censurar ‘Folha’, mas perde

O ministro do Turismo: no melhor estilo Ciro Gomes. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O ministro do Turismo (sentado): no melhor estilo Ciro Gomes.

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O MINISTRO DO TURISMO, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG), pediu na Justiça para que a Folha de S.Paulo retirasse do ar 13 reportagens que documentam sua ligação com um esquema de candidatas-laranjas no Estado.

O jornal publicou nesta segunda-feira (25) que a liminar foi negada pela juíza Grace Correa Pereira Maia, da 9ª Vara Cível de Brasília.

Escreveu a juíza: “[c]onforme o entendimento exarado pelo STF no julgamento da ADPF 130/DF, a retirada de matéria de circulação configura censura em qualquer hipótese, o que se admite apenas em situações extremas, o que evidentemente não é o caso dos autos”.

Reportagem da Folha de 4 de fevereiro com o título Ministro de Bolsonaro criou candidatos laranjas para desviar recursos na eleição foi a primeira a relevar o esquema candidaturas-laranja, pelo qual candidatas mulheres tinham grandes despesas de campanha declaradas, mas recebiam pouquíssimos votos. Parte do dinheiro foi parar em “empresas que são de assessores, parentes ou sócios de assessores do hoje ministro de Bolsonaro”.

A notícia da Folha publicada nesta segunda-feira (25) termina com a frase “Leia abaixo as 13 reportagens que o ministro quer retirar do ar”. E os 13 links.

Leia também:

Livro com crítica a Bolsonaro é removido de site do Itamaraty

Onyx cria novo conceito: o ‘ministro-estagiário’

Bebianno: Carlos Bolsonaro fez ‘macumba psicológica’ na cabeça do pai

Gostaria de ajudar A Agência? Basta você visitar este link e comprar qualquer livro que te interessar.

Para o Início