Mourão: regime de Maduro é uma ameaça

Mourão: hora de trocar o regime, mas sem agressão militar. Foto: Cancillería de Colombia

Mourão: hora de trocar o regime na Venezuela.

Foto: Cancillería de Colombia

O VICE-PRESIDENTE Hamilton Mourão (PRTB) disse nesta segunda-feira (25) que o regime chavista na Venezuela é uma ‘ameaça’, e que os países da região devem coordenar esforços para uma transição pacífica por meio de eleições com observadores da OEA.

“O regime chavista representa ameaça à segurança”, afirmou o vice-presidente, falando em espanhol com forte stoaque, em reunião em Bogotá do Grupo de Lima. “Em Caracas foi instalado um regime de privilégios”.

Afirmando que “o mundo vive uma preocupante escalada de tensões políticas, econômicas e militares que deve ser enfrentada por governos e organizações internacionais”, Mourão disse que a Venezuela, sem ter recebido qualquer ameaça direta à sua soberania, militarizou parte da sua população por meio de milícias militarizadas. “Desde 2009 vem adquirindo equipamentos militares de alto poder destrutivo”, declarou.

Mourão acrescentou que os apoiadores da Venezuela “são também regimes autoritários ou totalitários, violadores de direitos humanos”. E declarou:
“a Venezuela deve regressar ao convívio democrático das Américas”.

“O momento é de solidariedade latino-americana, desvestida de ideologia e sectarismo. Uma crise humana e moral se abate de forma contundente sobre a Venezuela”, disse o vice-presidente. E afirmou: “o Brasil acredita firmemente que é possível à Venezuela regressar ao convívio democrático, sem medidas extremas que o caracterizem como invasor ou agressor. Em nome do presidente Jair Bolsonaro, trago esta mensagem do compromisso com a paz em nosso hemisfério”.

Mourão lidera a delegação brasileira nesta reunião do Grupo de Lima. Ele serviu como adido militar da embaixada do Brasil em Caracas de 2002 a 2004. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, também está em Bogotá.

Leia também:

Análise: Venezuela será campo de batalha do Foro de São Paulo

Pence pede à América Latina sanções contra Maduro

Gostaria de ajudar A Agência? Basta você visitar este link e comprar qualquer livro que te interessar.

Para o Início