Pence pede à América Latina sanções contra Maduro

Pence (à direita, com Guaidó e o presidente da Colômbia, Ivan Duque): hora de agir. Foto: Divulgação/Mike Pence

Pence (à direita, com Guaidó e o presidente da Colômbia, Ivan Duque): hora de agir.

Foto: Divulgação/Mike Pence

O VICE-PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS, Mike Pence, pediu aos países das Américas que congelem os ativos da petrolífera PDVSA e transfiram a propriedade de ativos venezuelanos para o governo interino de Juan Guaidó. A declaração foi feita no começo da tarde desta segunda-feira (25), em Bogotá, onde ocorre reunião do chamado Grupo de Lima.

“Muitos dos países aqui prometerem combater a lavagem de dinheiro”, declarou Pence. “Pedimos que tomem ações para isolar financeiramente a ditadura Maduro”. O vice-presidente afirmou que a pressão dos EUA sobre o regime vai continuar, com novas sanções e reforços dos pacotes de ajuda humanitária. Mais de US$ 139 milhões em alimentos e remédios já teriam sido enviados, e mais US$ 56 milhões estão a caminho.

Pence aproveitou para reivindicar a liderança do movimento contra Maduro: “os EUA têm orgulho de terem sido o primeiro país a reconhecer Juan Guaidó como legítimo presidente da Venezuela”. Antes, como A Agência mostrou, os americanos estavam a reboque de países como Brasil, Colômbia e Canadá em coordenar um esforço contra Maduro.

Em linha com o discurso do secretário de Estado, Mike Pompeo, no Conselho de Segurança, Pence acusou os cubanos. Segundo ele, agentes de Cuba atuaram em cidades de fronteira da Venezuela neste fim de semana e abriram fogo, sendo os responsáveis por ferir ao menos 300 pessoas e matar outras cinco.

“Este é um conflito entre a ditadura e a democracia”, afirmou Pence. “Maduro é um usurpador e deve ir embora”.

Leia mais:

PT e PSOL seguem no ‘bonde do Maduro’

Análise: Venezuela será campo de batalha do Foro de São Paulo

Gostaria de ajudar A Agência? Basta você visitar este link e comprar qualquer livro que te interessar.

Para o Início