Flávio Bolsonaro já teve “excelente conversa” com Paulo Figueiredo, hoje foragido

Paulo Figueiredo e Flávio Bolsonaro, em foto de 2017 na Barra da Tijuca: "laços entre as famílias". Foto: Facebook/Flávio Bolsonaro

Paulo Figueiredo e Flávio Bolsonaro, em foto de 2017 na Barra da Tijuca: “laços entre as famílias”.

Foto: Facebook/Flávio Bolsonaro

EM SETEMBRO DE 2017, o deputado estadual Flávio Bolsonaro publicou em sua página no Facebook uma fotografia ao lado do empresário Paulo Figueiredo Filho, neto do presidente João Figueiredo (1979-1985).

Diz a legenda:

“As gerações mantêm os laços entre as famílias. Excelente conversa com o Paulo Figueiredo Filho, grande pessoa, empreendedor bem sucedido, com senso crítico e visão política diferenciados. Como ele mora nos EUA, a xepa do Ross onde comprou a camisa dele é mais recente que a onde comprei a minha! rs”.

Líder do projeto do Trump Hotel no Rio (hoje Hotel LSH), Paulo Figueiredo foi um dos alvos da Operação Circus Máximus, deflagrada na terça (29). Ele não foi encontrado no Brasil. Seu mandado de prisão preventiva está em aberto e a Polícia Federal já o considera foragido.

A Circus Máximus investiga corrupção no uso de dinheiro do BRB, banco do Distrito Federal. Um dos destinos teria sido o Trump Hotel.

O empreendimento foi inaugurado às pressas no fim de agosto de 2016, durante as Olimpíadas. A ideia era que ficasse pronto antes. Naquele momento, apenas parte dos 171 quartos estava disponível para os hóspedes, e o resto seguia em obras.

Dois meses depois da inauguração ficou público que a Operação Greenfield, do Ministério Público Federal, investigava a The Trump Organization no Brasil. No fim de 2016, já eleito Presidente, Trump mandou retirar sua marca do hotel.

Segundo o juiz Vallisney de Oliveira, que autorizou a operação, no caso do “ex-Trump Hotel Rio de Janeiro”, o negócio inicial “de apenas R$ 3 milhões em poucos anos saltou, por força do fundo criado e investimentos fraudulentos, para mais de uma centena de milhões de reais.”

A PF também fez buscas no hotel.

E Flávio Bolsonaro? Nesta quarta (30), tentou correr de jornalistas. Sobre o caso Fabrício Queiroz, disse ser “vítima de perseguição”.

Increva-se no canal de A Agência no YouTube.

Para o Início